quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Os Efeitos da Oração.


A Oração é uma comunicação multifacetada entre os crentes e o Senhor. Além das Palavras "Oração" e "Orar", podemos também correlacionar como um ato de invocar a Deus como está escrito no (Salmo 17:6 - Eu te invoquei, ó Deus, pois me queres ouvir; inclina para mim os teus ouvidos e escuta as minhas palavras), como também clamar ao Senhor (Salmo 3:4), como Levantar nossa alma ao Senhor (Salmo 25:1),etc.

Antes de tudo, Deus sempre nos ensinou que o caminho para o êxito e conquistas de vitórias em nossas vidas viriam através da constante oração, pois, ela é o elo de ligação que nos aproxima do Eterno, nos proporcionando a convicção e a certeza de que o milagre acontecerá em tempo oportuno.

Existem várias passagens bíblicas que nos ensina sobre este princípio. Jesus, por exemplo, quando em seu ministério terreno, é o maior exemplo de uma vida de oração, sendo Deus ele não necesasitaria de oração, porém, como homem ele nos ensinou a termos uma vida de constante oração e intercessão. Em Atos 1:14, após a acenssão de Jesus, os discípulos permaneceram reunidos em constante oração no cenáculo aguardando a promessa que haviam recebido do Mestre antes de sua partida, promessa que viria a se cumprir quando o Espírito Santos foi derramado sobre eles no dia de Pentecostes como fora predito pelo profeta Joel (Jl 2:28), cumprindo-se em (Atos 2:1)

Porém, estudando as escrituras encontro um importante versículo no livro de (Tg 5:16p/c) que diz:

"A Oração feita por um justo, pode muito em seus efeitos", Meditando nessa expressão, aprendo que as nossas orações não são meros amulelos ou supertições que talvez dê certo ou não, e muito menos confissão positiva ou coisas desse tipo que, pessoas que desconhecem o poder da Oração insistem em apregoar por aí, eu aprendo que a Oração feita por um justo tem que produzir EFEITOS, não estou dizendo que temos que colocar Deus na parede, ou reinvindicar de uma maneira agressiva as respostas de nossas orações, muito pelo contrário, estou dizendo que se crêrmos no poder da oração e fizermos com toda reverência e confiança no todo poderoso, ELE estará com seus ouvidos atentos ás nossas orações e com certeza no tempo certo ELE nos responderá (Lc 11:9-10), (Jo 15:7), (2Cr 7:14).


Mediante a estes exemplos tão pedagógicos, aprendo sobre alguns Efeitos que são conquistados através da oração:


1) Conquistamos Paz e Tranquilidade em meio á provação;


Quando confiamos inteiramente em Deus, consequentemente conseguimos ter paz e tranquilidade mesmo quando parece que o mundo está de cabeça pra baixo, ou a tempestade está impetuosa em nossas vidas, me faz lembrar de Pedro (At 12:1), quando foi preso por Herodes que já havia matado tiago á espada, e agora mantinha Pedro em uma prisão sombria esperando matá-lo em praça pública, porém as escrituras relatam que a Igreja primitiva fazia contínua Oração por ele á Deus (At 12:5), e o que me chama atenção nesta história, é que enquanto a Igreja orava, pedro Dormia na prisão como se nada tivesse acontecendo. Entendo que Pedro não estava apenas dormindo, mas ele estava descançando no Senhor, estava crendo que o milagre ia acontecer e naquele momento nada tiraria a paz e a tranquilidade de Pedro. Digo mais ainda, quem sabe, Pedro naão estava sonhando com as promessas que o próprio Jesus fizera á ele, como por exemplo em (Mt 16:13-19), quando estavam nas partes de Cesaréia de Felipe e Jesus faz uma promessa a Pedro e diz:


Tu és Pedro, e sobre esta rocha edificarei a minha Igreja, e as portas do Inferno não prevaleceram contra ela (Mt 16:18).


Agora gostaria de deixar uma pergunta aos amados leitores deste texto, dizendo:

- Se um de nós estivéssemos no lugar de Pedro, teríamos a fé suficiente para dormir sabendo que seríamos executado no dia seguinte? Acreditaríamos nas promessas mesmo em meio a tão tamanha provação?

Fica aqui estas perguntas para refletirmos e analisarmos como está a nossa confiança em Deus mediante as nossas orações.


2) Nos traz Livramentos em meio as batalhas.


Encontramos várias passagens bíblicas que relatam vitórias em meio ás crises vividas pelo povo de Deus, porém, gostaria de relembrar em (2 Cr 32:1-20), quando Senaqueribe rei da Assíria queria invadir Judá e exterminar o povo com seu poderoso exército, porém Ezequias rei de Judá, não confiou no seu exército ou muito menos na sua sabedoria humana, porém, animou o coração do povo dizendo que com eles estavam o braço de carne, mas com Ezequias e Judá estava o braço do Senhor dos exércitos, e então o povo descansou nas palavras do rei. Em contrapartida Ezequias não ficou de braços cruzados esperando o seu inimigo, mas, chamou Isaías filho de amoz e ambos prostaram-se com seus rostos em terra, e foram buscar ao Senhor em oração:

- Porém o rei Ezequias e o profeta Isaías, filho de Amóz, oraram ao Senhor por causa da batalha e clamaram ao céu. Então o Senhor enviou um anjo que destruiu todos os varões valentes, e os príncipes, e os chefes no arraial do rei da Assíria; e este tornou com vergonha de rosto á sua terra (2 Cr 32:20-21).


Termino este texto escrevendo mais um versículo que está escrito em Tg 5:15 - que diz:


- A Oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará, e se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.


Que o Eterno continue nos agraciando com o poder da oração e que eses efeitos e muitos outros, seja constantemente visíveis em nossas vidas. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem ao amanhecer!!!!!.


Nele que é o autor da nossa Fé;


Ev. Anderson Araújo.




quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Deus conhece os teus limites.


É extremamente difícil para o ser humano no seu raciocínio natural entender o trabalhar de Deus nas circunstâncias da vida. Acham que são suficientemente capazes de resolver os seus problemas e dispensam a ajuda do Eterno, e quando vêem que suas forças estão acabando então dizem: "Deus se esqueceu de mim", ou "Deus não está vendo o meu sofrimento", porém acho interessante o que Paulo escreveu aos Coríntios no cap. 10:12-13:


"Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe que não caia. Não veio sobre vós tentação, senão humana, mas fiel é Deus que não vos deixará ser tentado além das vossas forças; pelo contrário, antes vos proverá o livramento, de sorte que a possais suportar".


Paulo exorta a Igreja primitiva com relação ao abandono do pecado, da imoralidade e de outros delitos que persistiam em existir no meio da jovem igreja de corinto, mostrando o exemplo dos seus antepassados que sofreram o julgamento de Deus pelos seus pecados,(I Co -10:1-11), porém havia muita murmuração entre o povo e isso causava discórdia na igreja . Contudo através da desobediência, Deus permitia as provações para corrigir aquele povo e também servia para trazê-los de volta ao caminho da graça. Quantos não agem de forma impensada quando estão na prova, ou seja murmuram, reclamam, como alguns exemplos da bíblia como Elias quando fugiu para caverna, como Jonas quando desobedeceu a ordem de Deus e desceu para Jope querendo fugir para Tarsis, é comum encontrarmos situações e que gostaríamos de fugir e abandonar tudo, porém esta atitude mostra que não confiamos em Deus como deveríamos, ou achamos que ELE está imparcial ao nosso favor e não se importa com a nossa luta, bom isso é o que alguns pensam infelismente, pois a bíblia é bem clara quando diz que o Senhor conhece nossos pensamentos, e nossos caminhos, e digo mais Ele conhece o nosso LIMITE, até onde podemos suportar, o Senhor nunca permitirá que venha sobre os seus escolhidos algo que venha destruir ou minar suas forças, antes o Eterno dará o escape e poderemos entender que o Eterno sempre está no controle de tudo e os desertos que enfrentamos não são o fim, mas a escola onde Ele nos ensina os seus propósitos e desígnios.
"Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os meus caminhos os teus caminhos diz o Senhor, Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vosso caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos"( Is-55:8,9).


Nele que sonda e conhece os corações;

Ev. Anderson Araújo.


terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Por quem somos guiados?

"Mas, quando vier aquele Espírito da verdade, ele vos guiará em toda a verdade, porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará o que há de vir" (Jo 16:13).

O Pecado e a falta de Temor á Deus e a sua palavra tem levado a humanidade á passos largos ao declínio espiritual. As pessoas procuram desenfreadamente soluções instantâneas para os seus problemas e nessa procura desesperada acabam apelando para todo o tipo de alto ajuda, misticismo e coisas desse tipo, esquecendo que nós precisamos da ajuda do Alto.
Quando Jesus estava ensinando as últimas instruções aos seus discípulos no cap. 16 do livro de João, o Mestre falava acerca da sua subida ao céu e a descida do Espírito Santo como um Guia para os discípulos e para toda a humanidade, esse Guia nos mostraria toda a verdade e o caminho a ser seguido até o retorno do Senhor Jesus para buscar o seu povo Santo (a Igreja) para estar para sempre com ELE.
Mas o que temos visto infelizmente são pessoas que não dando crédito á palavra que Cristo pronunciou, e vivem dissolutos em seus próprios desígnios e pensamentos, existem nos dias atuais algumas classes de pessoas que se dizem GUIADAS, mas que tipo de "guias" encontramos por aí... vejamos a seguir:

a) Pessoas que são Guiadas por Si mesma:
São aquelas que se deixam levar pelo egocentrismo, pelo eu que existe dentro de si, são aqueles que são guiadas pela fama e pelo poder paralelo, pelo dinheiro e prestígio que possui, um exemplo claro nas Escrituras foi o rei Nabucodonosor que por causa da sua prepotência e arrogância foi pastar com os animais no campo durante 7 anos para aprender que Deus não divide Sua Glória com ninguém...
"falou o rei, e disse: Não é esta a grande Babilônia que eu edifiquei para a morada real, pela força do meu poder, e para a glória da minha majestade?" Dn 4:30.

b) Pessoas que são guiadas pelos outros:
São aquelas pessoas que nunca tem opinião própria, porém estão sempre tomando suas decisões e atitudes baseadas nas opiniões e pensamentos de outras pessoas. São aquelas que vão embaladas pela multidão dizendo que se todo mundo esta de acordo eu também estou... são os que chamamos de "maria vai com as outras", vivendo uma vida sem direção e sem objetivo próprio, são os que dizem o que todo mundo diz, fazem o que todo mundo faz, afinal "A vóz do povo é a vóz de Deus"!!! misericórdia, peçamos ao Eterno graça para não entrarmos por esse caminho.

c) Pessoas que são guiadas pelo Inimigo:
Essa classe é a mais preocupante, são aquelas pessoas que dão lugar para o diabo usá-las na intenção de Matar, Roubar e Destruir como diz as escrituras, e também na maioria das vezes entristecer pessoas, induzir outros ao pecado, provocar todo o tipo de embaraços e laços ao próximo no intuíto de prejudicá-lo, etc... Poderíamos citar aqui vários exemplos, como a traição de Judas Iscariotes para com Jesus, traindo-o com um beijo por míseras moedas de prata; Corá Datã e Abirão que deixaram o inimigo entrar em seus corações para se rebelarem contra Moisés e Arão, porém o fim deles foi serem engolidos vivos pela terra em que pisavam (Nm 16:1-34).

d) Pessoas que são Guiadas pelo Espírito de Deus:
São o oposto de todos os exemplos mencionados acima, são aquelas pessoas que professam sua fé em Cristo, que são não atribuem a sí mesmo a glória, mas a Deus que é merecedor, são os que não olham o tamanho do gigante porém, acreditam que venceram as lutas independente de qualquer circuntância, são aqueles que são sensíveis a vóz de Deus e a sua palavra, e resumindo as qualidades daqueles que verdadeiramente são guiados pelo Espírito de Deus, que por sinal são inúmeras, defino como: Os que ouvem, guardam e praticam a palavra de Deus no seu cotidiano tendo como primícia a comunhão, a Intimidade e a fidelidade com o Eterno Todo Poderoso, são os Daniel, os Jeremias, as Déboras, os João Batista e muitos outros exemplos que encontramos nas Escrituras...

Peço que Deus continue nos guiando com o seu Espírito e que não venhamos cair nas investidas dos guias que andam todos os dias tentando nos tragar....
Em Cristo;
Nele que Vive e Reina para sempre;
Ev. Anderson Araújo.


terça-feira, 17 de novembro de 2009

Marcas do Discipulado!!!

Durante os últimos dias do ministério terreno
de Jesus, Ele Se concentrou na preparação dos apóstolos
para a Sua partida. Enquanto viajava, Ele “não
queria que ninguém o soubesse; porque ensinava
os seus discípulos…” (Marcos 9:30b, 31). A Bíblia
Viva parafraseia dizendo: “Jesus tentava evitar toda
a propaganda, a fim gastar mais tempo com os
seus discípulos”. Um tema recorrente nesse ensino
poderia ser expresso pelas palavras: “O que significa
ser Meu discípulo”. Os apóstolos precisavam
dessas lições; e nós também.


CONFIE NO PODER DE DEUS, E NÃO EM SUA
PRÓPRIA CAPACIDADE
(MATEUS 17:14–21; MARCOS 9:14–29;
LUCAS 9:37–43)
Começamos com Jesus, Pedro, Tiago
e João descendo do “monte santo” (2 Pedro 1:18),
onde o Senhor fora transfigurado. Quando Moisés
desceu do monte após receber os dez mandamentos,
ele foi recepcionando pelo tumulto da desobediência
(Êxodo 32); quando Cristo desceu do monte
após ser transfigurado, Ele foi recepcionado pelo
caos da incredulidade.
Um homem havia levado o filho endemoninhado
para ser curado por Jesus, mas os discípulos do
Senhor não conseguiram expulsar o demônio. Os
sempre-presentes e sempre-críticos escribas e fariseus
aproveitavam-se da situação para caluniar o
ministério de Cristo . A falta de fé em todos os presentes
(os escribas, a multidão, o pai do menino e
até os discípulos de Jesus) impressionou Jesus (Ma-
teus 17:17; Marcos 9:19; Lucas 9:41). Apesar disso,
Ele Se mostrou fiel diante da infidelidade deles, e
curou o menino (Mateus 17:18; Marcos 9:25, 26; Lucas
9:41).
Mais tarde, quando o Senhor e Seus seguidores
estavam a sós, estes indagaram: “Por que motivo
não pudemos nós expulsá-lo?” (Mateus 17:19;
Marcos 9:28). E Jesus respondeu: “Por causa da pequenez
da vossa fé. Pois em verdade vos digo que,
se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a
este monte: Passa daqui para acolá, e ele passará.
Nada vos será impossível” (Mateus 17:20) . Assim
como o pai na história (Marcos 9:24), os discípulos
creram (Marcos 9:24)—embora não cressem verdadeiramente
(Mateus 17:20). Assim como nós, eles
relutavam para ter fé.
Muitos escritores acreditam que os apóstolos
não conseguiram expulsar o demônio porque estavam
confiando em sua própria capacidade de exorcizar
. Paulo escreveu que “não confiemos em nós,
e sim no Deus que ressuscita os mortos” (2 Coríntios
1:9). Muito tempo atrás, Davi disse: “Oferecei
sacrifícios de justiça e confiai no Senhor” (Salmos 4:5;
grifo meu). O sábio Salomão ecoou esse sentimento:
“Confia no Senhor de todo o teu coração e não te
estribes no teu próprio entendimento” (Provérbios
3:5).
Um verdadeiro discípulo reconhece suas próprias
deficiências (Romanos 3:10). Ele confia que o
Senhor lhe dará forças (veja 2 Samuel 22:31; Salmos
9:10; 37:3, 5; 40:3, 4; 115:10, 11; Isaías 26:4; Filipenses
2:24).


CONFIE NA PALAVRA DO SENHOR, E NÃO
EM SUA PRÓPRIA SABEDORIA
(MATEUS 17:22, 23; MARCOS 9:30–32;
LUCAS 9:43–45)
Jesus e os doze apóstolos voltaram dos “lados de
Cesaréia de Filipe” (Mateus 16:13; veja Marcos 8:27)
para a Galiléia (Mateus 17:22; Marcos 9:30) . Diferentemente
do que aconteceu durante as viagens
anteriores, Cristo evitou multidões enquanto viajavam
por aquela província. Como já foi observado,
Jesus “não queria que ninguém o soubesse; porque
ensinava os seus discípulos…” (Marcos 9:30, 31).
Um assunto que Jesus retomava constantemente
era a Sua morte iminente: “…ensinava os seus discípulos
e lhes dizia: O Filho do Homem será entregue
nas mãos dos homens, e o matarão; mas, três dias
depois da sua morte, ressuscitará ” (Marcos 9:31;
veja Mateus 17:22, 23).
Segundo o relato de Lucas, Ele prefaciou esse
aviso dizendo: “Fixai nos vossos ouvidos as seguintes
palavras” (Lucas 9:44a). Esta é uma expressão
gráfica para: “Ouçam, ouçam de fato! Ouçam, pensem
e entendam! Ouçam e lembrem-se do que eu
digo! Ouçam e entendam!” Ouvir não é o mesmo
que escutar. Sempre que o Senhor falar, precisamos
deixar que Suas palavras penetrem em nossos ouvidos
e mentes, para que encontrem expressão em
nossas vidas!
Os discípulos ficaram “entristecidos grandemente”
(Mateus 17:23) com as palavras de Jesus;
mais uma vez “eles não compreendiam isto” (Marcos
9:32a). Eles não entendiam a afirmação acerca de
Sua morte porque a idéia do Messias morto era contrária
às suas expectativas messiânicas . Eles não
entendiam a afirmação acerca da Sua ressurreição
porque esse conceito era contrário ao que já haviam
experimentado (veja Marcos 9:10).
Embora não entendessem, “temiam interrogá-
lo” (Marcos 9:32b). Talvez temessem que suas
perguntas fossem interpretadas como incredulidade.
Talvez temessem ser repreendidos como Pedro
(Mateus 16:23). Talvez apenas hesitassem expor sua
ignorância. Tempos atrás, ouvi dizer que a única
maneira de se obter conhecimento é reconhecendo
a própria ignorância. Admitir isso é doloroso, mais
porém necessário.
O relato de Lucas sobre este incidente adiciona
um detalhe intrigante: “Eles, porém, não entendiam
isto, e foi-lhes encoberto para que o não compreendessem…”
(Lucas 9:45;). Quem ou o que encobriu o significado daquilo para os discípulos?
O Senhor pode ter encoberto o significado porque
a afirmação de Jesus teria alarmado os discípulos,
se eles a tivessem compreendido inteiramente. Satanás
pode ter encoberto o significado; afinal, ele
está sempre tentando tirar a Palavra das mentes dos
homens (Lucas 8:12). Talvez Burton Coffman estivesse
certo quando disse: “O encobrimento não foi
devido ao desígnio de Deus [eu acrescentaria “nem
do diabo”], mas devido às limitações do homem” .
É provável que o agente que encobriu o significado
tenha sido o preconceito dos apóstolos em relação
ao reino.
Independentemente de ser esse o caso, os discípulos
realmente encontraram dificuldade para aceitar
o que o Senhor tinha a dizer sobre Sua morte
aproximada, sucedida pelo sepultamento e ressurreição.
Uma qualidade essencial do discipulado é
aceitar o que o Senhor diz, mesmo que isto discorde
das idéias e do raciocínio do seguidor. Paulo enfatizou
a futilidade de confiar na sabedoria humana ao
escrever:
Certamente, a palavra da cruz é loucura
para os que se perdem, mas para nós, que somos
salvos, poder de Deus. Pois está escrito:
Destruirei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a
inteligência dos instruídos. Onde está o sábio?
Onde, o escriba? Onde, o inquiridor deste século?
Porventura, não tornou Deus louca a sabedoria
do mundo? Visto como, na sabedoria de
Deus, o mundo não o conheceu por sua própria
sabedoria, aprouve a Deus salvar os que crêem
pela loucura da pregação (1 Coríntios 1:18–21).
Um verdadeiro discípulo não confia no raciocínio
humano (Provérbios 3:5), mas na revelação divina
(2 Timóteo 3:16, 17).


PREOCUPE-SE COM A CAUSA DO SENHOR, E
NÃO COM SEUS DIREITOS
(MATEUS 17:24–2710)
Enquanto Jesus e Seus discípulos viajavam pela
Galiléia, chegaram a uma cidade que servira de
quartel-general do Senhor durante Seu ministério
naquela província. “Tendo eles chegado a Cafarnaum,
dirigiram-se a Pedro os que cobravam o imposto
das duas dracmas e perguntaram: Não paga o
vosso Mestre as duas dracmas?” (v. 24).
O texto grego contém simplesmente “as duas
dracmas”. A dracma era uma moeda grega quase
equivalente ao denário romano já mencionado nesta
série de estudos (veja Lucas 7:41; João 6:7)—a diária
de um trabalhador braçal (veja Mateus 20:2).
No texto original, a palavra “imposto” não se
encontra no versículo , mas Jesus usou o termo no
versículo . O imposto em questão era o imposto
pago ao templo14. A lei de Moisés determinava que
todo homem judeu, a partir de vinte anos, pagasse
meio siclo para a manutenção do templo e as despesas
de adoração (Êxodo 30:11–16; veja 2 Reis 12:12;
2 Crônicas 24:5–9; Neemias 10:32). O siclo era mais
ou menos equivalente a quatro denários ou quatro
dracmas, de maneira que meio siclo equivalia a dois
denários ou duas dracmas.
Os coletores de impostos, em vez de serem romanos,
eram oficiais do templo judeus. O imposto
era normalmente pago na primavera, e era começo
de outono; mas Cristo passara meses ausente de
Cafarnaum (Seu local de residência). Ouvindo que
Ele estava de volta, os coletores de impostos foram
procurá-lo. Talvez tivessem uma quota para atingir,
mas certamente estavam mais interessados em juntar
provas incriminatórias contra Ele.
Cristo, muitas vezes, hospedava-Se na casa de
Pedro enquanto ficava em Cafarnaum (veja Marcos
1:29, 30; 2:1), por isso os oficiais foram procurá-lo
ali. Encontrando Pedro fora da casa15, perguntaram:
“Não paga o vosso mestre as duas dracmas?”
(Mateus 17:24b). Sempre com a palavra na ponta da
língua, Pedro respondeu: “Sim” . Talvez ele
tenha dito “sim” porque o Senhor já havia pago o
imposto anteriormente. Talvez ele tenha dado essa
resposta porque sabia que Cristo ensinava a obediência
à Lei. Talvez, como geralmente era o caso de
Pedro, ele tenha dito apenas a primeira palavra que
lhe veio à cabeça.
Qualquer que tenha sido o motivo de Pedro, o
Senhor, ciente do que se passara, viu ali uma oportunidade
para ensinar uma lição vital. “Ao entrar
Pedro em casa”, antes que tivesse a ocasião de relatar
o ocorrido, “Jesus se lhe antecipou, dizendo: Simão,
que te parece? De quem cobram os reis da terra
impostos ou tributo: dos seus filhos ou dos estranhos?”
(v. 25b). Pedro não tinha dúvidas sobre esse
assunto. Ele respondeu: “Dos estranhos” (v. 26a). Jesus
replicou: “Logo, estão isentos os filhos” (v. 26b).
A implicação óbvia era que, sendo Jesus o Filho do
Rei (Deus), era isento do imposto sobre a casa de
Seu Pai (o templo)16. Em outras palavras, Jesus tinha
o direito de não pagar o imposto—mas Pedro
precisava aprender que um discípulo não insiste em
seus direitos se, ao fazê-lO, prejudicar a causa do
seu Senhor.
E Jesus continuou dizendo: “Mas, para que não
os escandalizemos, vai ao mar, lança o anzol, e o
primeiro peixe que fisgar, tira-o; e, abrindo-lhe a
boca, acharás um estáter. Toma-o e entrega-lhes por
mim e por ti” (v. 27). Richard Rogers escreveu: “Que
paradoxo! Um Rei tão pobre que não podia pagar o
imposto do anual templo de apenas meio siclo”.
A
palavra grega traduzida por “estáter” é sater, uma
moeda grega que valia quatro dracmas—exatamente
o suficiente para pagar o imposto do templo
para dois homens.
O milagre que Cristo realizou ali foi ímpar. Foi
o único milagre que envolveu dinheiro, foi o único
que O beneficiou pessoalmente, foi o único incidente
miraculoso cujas conseqüências não foram
relatadas, e sem dúvida é o milagre mais estranho
realizado pelo Senhor. Com certeza, vemos um toque
de humor nas palavras de Jesus instruindo um
pescador—que sempre abria a boca sem pensar—a
encontrar a solução para seu problema na boca de
um peixe.
Tomemos, porém, o cuidado de não deixar que
a peculiaridade do milagre obscureça as palavras
chaves da instrução de Jesus: “Mas, para que não
os escandalizemos”. O verbo grego traduzido por
“escandalizemos” tem a raiz em comum com a palavra
“escandalizar” da língua portuguesa. Cristo
não estava preocupado em escandalizar ou ofender
a sensibilidade dos oficiais; mas sim em fazer qualquer
coisa que denegrisse o Seu ministério. Ele queria
que Pedro entendesse que fazer o que é certo tem
precedência sobre insistir nos direitos pessoais.
Esse raciocínio é “duro” (João 6:60). É natural
insistirmos em nossos direitos. Exigimos receber o
que merecemos. Levantamos oposição a todo aquele
que nos priva do que é nosso por direito. Jesus
nos chama para superarmos esse impulso natural, e
avaliarmos sempre como nossos atos poderão afetar
a Sua causa. Usando a terminologia do texto bíblico
em estudo, se o fato de insistirmos em nossos direitos
gerar “um escândalo” relacionado à causa de
Cristo, devemos abrir mão desses direitos.
Jesus não só ensinou esse tipo de abnegação,
como também viveu de acordo com ele. Vimos uma
demonstração disso no começo do Seu ministério
terreno: Ele tinha o direito de não ser batizado por
João porque Ele “era sem pecado” (Hebreus 4:15;
veja Mateus 3:14), mas abriu mão desse direito “para
cumprir toda a justiça” (Mateus 3:15). Veremos outra
demonstração no fim do ministério de Cristo:
Ele tinha o direito de não morrer porque nada fizera
para merecer a morte (Lucas 23:4), mas abriu mão
do Seu direito para que nós fossemos salvos (1 Coríntios
15:3).
Um verdadeiro discípulo não se preocupa tanto
com os seus direitos quanto em ver o Senhor ser glorificado
e a Sua causa prosperar!


PROMOVA A OBRA DO SENHOR, E NÃO OS
SEUS PRÓPRIOS INTERESSES
(MATEUS 18:1–14; MARCOS 9:33–50;
LUCAS 9:46–50)

Pouco antes, Jesus havia identificado o Seu reino
messiânico com a igreja que Ele edificaria (Mateus
16:18, 19). Ele sempre tentava incutir nos Seus
seguidores, o fato de que o reino seria espiritual—
não terreno, carnal ou político. Esse reino teria como
sede os corações dos homens, e não uma localidade
no mapa. Os discípulos, porém, não compreendiam
nada disso. A falta de entendimento deles é evidente
no próximo incidente registrado.
Certo dia, enquanto viajavam, os doze começaram
a discutir sobre “qual deles seria o maior” (Lucas
9:46; veja Mateus 18:1; Marcos 9:34).
A discussão
pode ter sido causada pela promessa que Jesus fez a
Pedro (Mateus 16:19) ou pelo fato de Jesus ter levado
consigo somente Pedro, Tiago e João ao topo do
monte (Mateus 17:1). O texto não fornece detalhes,
mas não há motivos para excluir algum dos apóstolos
da discussão—nem mesmo Pedro, Tiago e João,
os quais provavelmente supunham que o Senhor
consideraria seus nomes para os cargos mais altos
do suposto reino terreno.
Assim que alcançaram seu destino, Cristo
interrogou-lhes: “De que é que discorríeis pelo
caminho?” (Marcos 9:33). Inicialmente, nada responderam
(Marcos 9:34), provavelmente porque ficaram
desconcertados. Todavia, quando tornou-se
óbvio que Jesus sabia exatamente o que estavam a
discutir (Lucas 9:47), eles perguntaram: “Quem é,
porventura, o maior no reino dos céus?”
“Se Jesus quisesse ensinar
que Pedro tem alguma primazia, não encontraria
oportunidade melhor”. Ao contrário disso,
Cristo usou a ocasião para ensinar uma lição muitíssimo
necessária: “se alguém quer ser o primeiro,
será o último e servo de todos… porque aquele que
entre vós for o menor de todos, esse é que é grande”
(Marcos 9:35; Lucas 9:48b).
Para comunicar essa mensagem, o grande Mestre
usou um recurso visual vivo: “E Jesus, chaman-

do uma criança25, colocou-a no meio deles” (Mateus
18:2). “E, tomando-a nos braços” (Marcos 9:36), disse
aos discípulos: “Em verdade vos digo que, se não
vos converterdes e não vos tornardes como crianças,
de modo algum entrareis no reino dos céus. Portanto,
aquele que se humilhar como esta criança, esse é
o maior no reino dos céus” (Mateus 18:3, 4).
Muitas verdades podem ser extraídas dessas
palavras de Cristo. Por exemplo, elas expõem o erro
da doutrina de total condenação hereditária: a crença
de que uma criança nasce “totalmente condenada”
por causa do pecado de Adão. Jesus disse que
precisamos nos tornar como crianças para entrar no
reino. Novamente, as palavras do Senhor mostram
a falácia do conhecido batismo infantil: uma criança
já está pronta para o reino e não é necessária nenhuma
cerimônia inventada por homens para que ela
seja preparada.
Cristo, porém, estava enfocando uma verdade
em Sua ilustração: a necessidade de termos humildade26,
uma disposição para servir no lugar de
ser servido. Naqueles dias, as crianças ficavam na
extremidade inferior da escala social. Hoje elas geralmente
são as primeiras a serem servidas, mas naqueles
dias costumavam ser as últimas. O Senhor
estava tentando fazer Seus discípulos verem que,
para ter algum valor no Seu reino, teriam de se dispor
a assumir um papel humilde27.
A humildade é ensinada em todo o Novo Testamento28.
Paulo disse: “Nada façais por partidarismo
ou vanglória, mas por humildade, considerando
cada um os outros superiores a si mesmo” (Filipenses
2:3). E Pedro reiterou:
…outrossim, no trato de uns com os outros, cingi-
vos todos de humildade, porque Deus resiste
aos soberbos, contudo, aos humildes concede a
sua graça. Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa
mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno,
vos exalte (1 Pedro 5:5, 6).
Para ser o primeiro, é preciso ser o último! Para
ser grande, é preciso ser o menor! Esses princípios
eram difíceis para um público do primeiro século
entender, quanto mais para aceitar. E são duplamente
difíceis hoje neste mundo orgulhoso, de auto-
exaltação e autopromoção. Se vocês forem como eu,
as palavras de Cristo despertarão em seu coração a
oração: “Deus, ajude-me a ser mais humilde. Ajude-me
a ser mais parecido com as crianças”.



Em Cristo;

Ev. Anderson Araujo;


Fonte: Bible Courses/estudos.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Apagão atinge 10 Estados Brasileiros.

Falta de energia afetou pelo menos dez estados, em quatro regiões.Governo fala em 'problemas atmosféricos' e Itaipu, em 'vendaval'.
Um blecaute atingiu na noite desta terça-feira (10), a partir das 22h13, pelo menos dez estados brasileiros, além do Paraguai. De acordo com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, o apagão que atingiu parte do Brasil tem relação com o "desligamento completo" da usina hidrelétrica de Itaipu. A administração da usina, por sua parte, afirmou que não houve problema de geração, mas sim em linhas de transmissão.
O blecaute atingiu em diferentes proporções ao menos dez estados. A região mais afetada foi a Sudeste. Os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo ficaram totalmente sem luz. Em Minas Gerais, houve blecaute total nas regiões do Triângulo Mineiro e da Zona da Mata, mas em partes de Belo Horizonte a luz não caiu durante a noite. O apagão também afetou o interior do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, o interior da Bahia e partes de Pernambuco. Do outro lado da fronteira, o Paraguai, que também recebe energia de Itaipu, ficou às escuras, em consequência do que a usina chamou de "efeito dominó".

Em entrevista coletiva em Brasília, o ministro Edison Lobão afirmou que "houve um desligamento completo de Itaipu". "Uma linha de transmissão caiu e determinou a queda de outras", disse ele. Lobão avaliou que não é possível afirmar, com certeza, o que causou a falha no fornecimento de energia elétrica. Entretanto, segundo ele, o problema teria sido provavelmente causado por "fatores atmosféricos", como "tempestades de grande intensidade". "Imaginamos que podemos recuperar em muito pouco tempo. Ainda nesta noite estará tudo restabelecido. Itaipu está começando a ser reenergizada. Somente amanhã (quarta-feira) vamos saber o que aconteceu", disse Lobão. O presidente de Itaipu, Jorge Miguel Samek, disse que “não houve problema de geração de energia” e sim “um problema de avaria, um raio ou tempestade, que (teriam) derrubado algumas torres de energia”. "Há 99% de chance de o apagão ter sido provocado por um vendaval “, disse.
Em Itaipu, um dos responsáveis de turno, que não quis se identificar, disse que a usina esteve pronta para fornecer energia “desde o primeiro momento”, mas que um problema externo, de transmissão, teria impedido o restabelecimento do serviço. De acordo com técnicos, usinas termelétricas, que deveriam funcionar automaticamente neste caso, não foram ativadas.
"Alguma perturbação ou acidente afetou em um ou mais pontos o sistema de transmissão, inclusive o de Furnas, responsável por levar energia de Itaipu para o Sul e Sudeste", disse a Itaipu em nota. Na mesma nota, a empresa afirma que o restabelecimento de serviço começou às 22h30 de terça (10), no Paraguai. Às 0h30 desta quarta (11), foi retomado de maneira parcial o fornecimento para a região Sudeste do Brasil.
Por volta das 2h15 desta quarta, porém, Itaipu informou que gerava apenas 1200 megawatts para o Brasil e 700 megawatts para o Paraguai. Em madrugadas normais, Itaipu gera cerca de 11 mil megawatts para o Brasil e até mil megawatts para o Paraguai.
No início da madrugada, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) disse que ainda não havia identificado a origem do blecaute e que a maior preocupação era recompor o sistema. De acordo com a informação repassada pelo ONS ao ministro de Minas e Energia, somente com o restabelecimento total da energia será possível um diagnóstico do que aconteceu. Transtornos nos estados Deve ter havido uma sobrecarga do sistema"
Em São Paulo, a luz só começou a voltar ao redor da 0h desta quarta-feira (10) em bairros como Higienópolis e Bela Vista, e mesmo assim de maneira intermitente. A secretária estadual de Saneamento e Energia, Dilma Pena, afirmou que, apesar de a energia ter voltado em parte da região central de São Paulo, um problema fez com que novamente a cidade ficasse sem luz. “Deve ter havido uma sobrecarga do sistema
”.


fonte: G1 - O Globo.

Por Ev. Anderson Araújo.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

É Tempo de despertar!!! Ef .5:14-16.

As palavras de Paulo podem nos dar algumas idéias
importantes com relação aos "dias maus": “Portanto,
vede prudentemente como andais, não como néscios, e
sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias
são maus” (Ef-5:15, 16).
No século XX, foram feitas mais descobertas e
ganhou-se mais conhecimento do que em todo o
restante da história do mundo. Temos mais fatos
e dados disponíveis do que somos capazes de utilizar,
mas o nosso mundo ainda carece de sabedoria.
Sabedoria significa mais do que apenas conhecer
fatos. Sabedoria implica perspectivas — com
uma abordagem da vida centralizada em Deus.
Salomão atravessou uma “crise de meia idade”.
Ele virou as costas para Deus e tentou
encontrar felicidade sem Deus. Ele teve desejos,
dinheiro, tempo, energia e oportunidades para
experimentar tudo que pudesse injetar alguma
satisfação na vida. Salomão escolheu ser insensato
em vez de sábio. Sua busca pela felicidade sem
Deus o deixou vazio, deprimido e desiludido.
Hoje, temos o livro Eclesiastes de Salomão
relatando suas tentativas fracassadas de buscar
satisfação sem Deus.
As palavras de Paulo nos fazem lembrar a
experiência de Salomão. Paulo estava dizendo:
“Não sejam néscios [tolos, insensatos]”. Se ele
estivesse aqui hoje, talvez dissesse:
Você acha que encontrará felicidade juntando
um monte de dinheiro?
Você acha que encontrará felicidade comprando
aquela casa que tanto quer? ou então
você acha que encontrará felicidade se conseguir
sair com aquela bela garota ou aquele
belo rapaz?
Não seja néscio.
Só existe uma maneira de viver, uma maneira de
aproveitar ao máximo cada oportunidade —
vivendo para Deus. O que quer que experimentemos
sem Deus não nos trará satisfação.
Esse despertamento começa com sabedoria.
USE COMPREENSÃO
Despertar também tem a ver com compreender
a importância da vontade de Deus: “Por esta
razão, não vos torneis insensatos, mas procurai
compreender qual a vontade do Senhor” (Ef-5:17).

John Stott comentou: “Nada é mais importante na
vida do que descobrir e fazer a vontade de Deus”
.
É tempo de os cristãos despertarem e reconhecerem
a importância da vontade de Deus. Temos de
reconhecer que vivemos num mundo desajustado
com a vontade de Deus. O mundo está contra
Deus. Ele se recusa a entrar em sintonia com Deus.
Diariamente, somos bombardeados por mensagens
que vão contra a vontade de Deus e elas
influenciam cristãos de todas as idades. Todos nós
sentimos a pressão de uma cultura desajustada
com Deus. Alguns de nós precisamos despertar
e pensar nas fontes de entretenimento que temos
utilizado. Precisamos despertar e pensar nos livros
que temos lido, nos lugares que temos freqüentado
e na maneira como temos passado o tempo.
Precisamos despertar para a vontade de Deus.

USE PODER
Uma terceira chave para os que estão dormindo
espiritualmente despertarem é o poder. O poder
da igreja provém de uma só fonte: o Espírito
Santo do Senhor. Efésios 5:18 diz: “E não vos
embriagueis com vinho, no qual há dissolução,
mas enchei-vos do Espírito”.
Quando uma pessoa está embriagada, dizemos
que ela está “sob influência” do álcool. Os efeitos
do álcool controlam essa pessoa. Uma pessoa
embriaga anda, fala, pensa e trata os outros de
modo diferente do que faria se estivesse sóbria.
Uma pessoa embriagada se transforma numa
pessoa diferente.
Paulo desafiou os cristãos a serem diferentes
— a ficarem sob a influência do Espírito Santo de
Deus. O Espírito busca encher as nossas vidas através
da Palavra de Deus. Todavia, nossos pecados,
nossa teimosia e nossa recusa em nos arrepender
podem nos roubar o poder do Espírito. Quando
estamos abertos para Deus e somos obedientes à
Sua Palavra, o Espírito Santo nos enche. O poder
do Espírito flui para dentro de nossas vidas.
Como, então, podemos ficar cheios do Espírito?
Em primeiro lugar, deseje ficar cheio do
Espírito. O Espírito não concederá poder às nossas
vidas se não tivermos o desejo de ter o Seu poder.
Lemos o seguinte na Bíblia:
…levantou-se Jesus e exclamou: Se alguém tem
sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim,
como diz a Escritura, do seu interior fluirão
rios de água viva.
Isto ele disse com respeito ao
Espírito que haviam de receber os que nele
cressem (João 7:37b-39a).
Despertar para o poder do Espírito em nossas
vidas começa com ter sede do que Jesus oferece
— a oportunidade de ser como Ele. Deixar o filho
de Deus semelhante a Jesus é a especialidade do
Espírito através da Palavra de Deus, mas Ele só
faz isto se o desejarmos.
Em segundo lugar, precisamos prestar atenção
ao chamado para nos enchermos do Espírito adquirindo
conhecimento da Palavra de Deus: “Habite,
ricamente, em vós a palavra de Cristo” (Colossenses
3:16). Efésios 5:18 diz para deixarmos o
Espírito nos encher. O Espírito e a Palavra andam
juntos. Estar cheio do Espírito requer conhecer a
Palavra e ter essa Palavra habitando dentro de
nós. Ter o Espírito enchendo as nossas vidas faz
a Palavra de Deus se tornar viva dentro de nós.
O Espírito e a Palavra operam juntos.
Em terceiro lugar, para estar cheio do Espírito,
temos de fazer da entrega a Jesus um estilo de vida.
A chave para nos enchermos do Espírito encontra-
se nas palavras de uma canção que sempre
cantamos: “Tudo a Cristo a Ti entrego”. À medida
que essas palavras se tornarem o nosso objetivo
a cada minuto e hora, o Espírito encherá as
nossas vidas. Deixaremos de ser sonâmbulos espirituais.
Estaremos bem acordados, ajustados com o
Espírito e seremos fortalecidos pelo Seu poder.

CONCLUSÃO
Você é um cristão sonâmbulo espiritual? Busque mais
uma vez a sabedoria, a compreensão e o poder de
estar cheio do Espírito. É hora de usarmos a
sabedoria do alto, de entendermos a vontade de
Deus e a ela obedecermos, de buscarmos e
aceitarmos o poder decorrente de nos enchermos
do Espírito. Deus quer que a Sua igreja desperte.
Se você não é cristão, é hora de despertar
para o que Cristo fez por você. Venha até Ele,
arrependa-se da sua velha vida e seja batizado
para lavar os seus pecados. Ressuscite das águas
do batismo para fazer brilhar a luz de Cristo ao mundo.

Nele que está VIVO e REINA para sempre;
por Ev. Anderson Araújo.

Fonte: Bible Courses.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

A Agonia do Gólgota.

Um cirurgião experiente em sua profissão relatou as seguintes palavras:
Por treze anos vivi em companhia de cadáveres e durante a minha carreira estudei anatomia a fundo. Posso, portanto, descrever sem presunção a respeito de uma morte tão agonizante como a de JESUS...

Jesus entrou em agonia no Getsêmani e seu suor tornou-se como gotas de sangue a escorrer pela terra. O único evangelista que relata o fato é um médico, Lucas. E o faz com a precisão de um clínico.
O suar sangue, ou "hematidrose", é um fenômeno raríssimo. É produzido em condições excepcionais. Para provocá-lo é necessário uma fraqueza física, acompanhada de um abatimento moral violento, causado por uma profunda emoção, por um grande medo.
O terror, o susto, a angústia terrível de sentir-se carregando todos os pecados dos homens devem ter esmagado Jesus.
Tal tensão extrema produz o rompimento das finíssimas veias capilares que estão sob as glândulas sudoríparas, o sangue se mistura ao suor e se concentra sobre a pele, e então escorre por todo o corpo até a terra.
Conhecemos a farsa do processo preparado pelo Sinédrio hebraico, o envio de Jesus a Pilatos e o desempate entre o procurador romano e Herodes.
Pilatos cede, e então ordena a flagelação de Jesus. Os soldados despojam Jesus e o prendem pelo pulso a uma coluna do pátio. A flagelação se efetua com tiras de couro múltiplas sobre as quais são fixadas bolinhas de chumbo e de pequenos ossos.
Os carrascos devem ter sido dois, um de cada lado, e de diferente estatura. Golpeiam com chibatadas a pele, já alterada por milhões de microscópicas hemorragias do suor de sangue. A pele se dilacera e se rompe, o sangue espirra. A cada golpe Jesus reage em um sobressalto de dor.
As forças se esvaem; um suor frio lhe impregna a fronte, a cabeça gira em uma vertigem de náusea, calafrios lhe correm ao longo das costas. Se não estivesse preso no alto pelos pulsos, cairia em uma poça de sangue.
Depois, o escárnio da coroação. Com longos espinhos, mais duros que os de acácia, os algozes entrelaçam uma espécie de capacete e o aplicam sobre a cabeça. Os espinhos penetram no couro cabeludo fazendo-o sangrar (os cirurgiões sabem o quanto sangra o couro cabeludo).
Pilatos, depois de ter mostrado aquele homem dilacerado à multidão feroz, o entrega para ser crucificado. Colocam sobre os ombros de Jesus o grande braço horizontal da Cruz; pesa uns cinqüenta quilos. A estaca vertical já está plantada sobre o Calvário. Jesus caminha com os pés descalços pelas ruas de terreno irregular, cheia de pedregulhos. Os soldados o puxam com as cordas. O percurso é de cerca de 600 metros. Jesus, fatigado, arrasta um pé após o outro, freqüentemente cai sobre os joelhos, e os seus ombros estão cobertos de chagas. Quando ele cai por terra, a viga lhe escapa, escorrega, e lhe esfola o dorso.
Sobre o Calvário tem início a crucificação. Os carrascos despojam o condenado, mas a sua túnica está colada nas chagas e tirá-la produz dor atroz. Quem já tirou uma atadura de gaze de uma grande ferida percebe do que se trata. Cada fio de tecido adere à carne viva: ao levarem a túnica, se laceram as terminações nervosas postas em descoberto pelas chagas.
Os carrascos dão um puxão violento. Há um risco de toda aquela dor provocar uma síncope, mas ainda não é o fim.
O sangue começa a escorrer. Jesus é deitado de costas, as suas chagas se incrustam de pó e pedregulhos. Depositam-no sobre o braço horizontal da cruz. Os algozes tomam as medidas. Com uma broca, é feito um furo na madeira para facilitar penetração dos pregos.
Os carrascos pegam um prego (um longo prego pontudo e quadrado), apoiam-no sobre o pulso de Jesus, e com um golpe certeiro de martelo o plantam e o rebatem sobre a madeira.
Jesus deve ter contraído o rosto assustadoramente. O nervo mediano foi lesado.
Pode-se imaginar aquilo que Jesus deve ter provado; uma dor lancinante, agudíssima, que se difundiu pelos dedos, e espalhou-se pelos ombros, atingindo o cérebro. A dor mais insuportável que um homem pode provar, ou seja, aquela produzida pela lesão dos grandes troncos nervosos: provoca uma síncope e faz perder a consciência.Em Jesus não. O nervo é destruído só em parte: a lesão do tronco nervoso permanece em contato com o prego: quando o corpo for suspenso na cruz, o nervo se esticará fortemente como uma corda de violino esticada sobre a cravelha. A cada solavanco, a cada movimento, vibrará despertando dores dilacerantes.
O carrasco e seu ajudante empunham a extremidade da trava; elevam Jesus, colocando-o primeiro sentado e depois em pé; conseqüentemente fazendo-o tombar para trás, e o encostam na estaca vertical. Depois rapidamente encaixam o braço horizontal da cruz sobre a estaca vertical. Os ombros da vítima esfregam dolorosamente sobre a madeira áspera.
As pontas cortantes da grande coroa de espinhos penetram o crânio. A cabeça de Jesus inclina-se para frente, uma vez que o diâmetro da coroa o impede de apoiar-se na madeira. Cada vez que o mártir levanta a cabeça, recomeçam pontadas agudas de dor.
Pregam-lhe os pés. Ao meio-dia Jesus tem sede. Não bebeu desde a tarde anterior. Seu corpo é uma máscara de sangue. A boca está semi-aberta e o lábio inferior começa a pender. A garganta, seca, lhe queima, mas ele não pode engolir. Tem sede. Um soldado lhe estende sobre a ponta de uma vara, uma esponja embebida em bebida ácida, em uso entre os militares.
Tudo aquilo é uma tortura atroz. De repente, um estranho fenômeno se produz no corpo de Jesus. Os músculos dos braços se enrijecem em uma contração que vai se acentuando: os deltóides, os bíceps esticados e levantados, os dedos se curvam. É como acontece a alguém ferido de tétano. A isto que os médicos chamam tetania, quando os sintomas se generalizam: os músculos do abdômen se enrijecem em ondas imóveis, em seguida aqueles entre as costelas, os do pescoço, e os respiratórios. A respiração se faz, pouco a pouco mais curta. O ar entra com um sibilo, mas não consegue mais sair. Jesus respira com o ápice dos pulmões. Tem sede de ar: como um asmático em plena crise, seu rosto pálido pouco a pouco se torna vermelho, depois se transforma num violeta purpúreo e enfim em cianítico.
Jesus é envolvido pela asfixia. Os pulmões cheios de ar não podem mais esvaziar-se. A fronte está impregnada de suor, os olhos saem fora de órbita. Mas o que acontece? Lentamente com um esforço sobre-humano, Jesus toma um ponto de apoio sobre o prego dos pés. Esforça-se a pequenos golpes, se eleva aliviando a tração dos braços. Os músculos do tórax se distendem. A respiração torna-se mais ampla e profunda, os pulmões se esvaziam e o rosto recupera a palidez inicial.
Por que este esforço? Porque Jesus quer falar: "Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem". Logo em seguida o corpo começa afrouxar-se de novo, e a asfixia recomeça.
Foram transmitidas sete frases pronunciadas por ele na cruz: cada vez que quer falar, deverá elevar-se tendo como apoio o prego dos pés. Inimaginável!
Atraídas pelo sangue que ainda escorre e pelo coagulado, enxames de moscas zunem ao redor do seu corpo, mas ele não pode enxotá-las. Pouco depois o céu escurece, o sol se esconde: de repente a temperatura diminui. Logo serão três da tarde, depois de uma tortura que dura três horas. Todas as suas dores, a sede, as cãibras, a asfixia, o latejar dos nervos medianos, lhe arrancam um lamento:
"Deus meu, Deus me, por que me desamparastes?"
Jesus grita: "Está consumado!". E em seguida, num grande brado diz: "Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito"
. E morre em meu lugar e no seu.

Soli Déo Glória;

Ev. Anderson Araújo.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Vencendo a Incredulidade.

Estamos vivendo dias, em que as pessoas estão cada vez mais acreditando somente naquilo que se pode ver, apalpar, etc. A chamada fé não desperta mais a sensibilidade de muitos e o CRÊR não faz parte do vocabulário de algumas pessoas, o que o escritor aos Hebreus nos ensina é:
"Ora a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem. Porque por elas, os antigos alcançaram testemunho". (Hb 11:1-2).
Olhando estes versículos entendo que a fé faz parte do alicerce espiritual de um cristão, pois aquele que a possui sente-se fortalecido a enfrentar as adversidades da vida sabendo que o Senhor não lhe deixará sozinho e que no momento certo ELE estenderá sua mão ao seu favor.
Isso me faz lembrar de Abraão e Sara, quando no Livro de gênesis, o próprio Deus declarou que ambos teriam um filho e que desse fruto gerado nasceria uma grande nação (Gn 15:1-4), ora Abraão era avançado em idade e Sara era tinha a madre cerrada e já havia cessado o costume das mulheres, humanamente falando seria realmente impossível Crêr na promessa de um filho nessas condições... É nesse momento então de batalha espiritual entre a carne e o espírito, entre o racional e o irracional, entre o natural e o sobrenatural, e entre a Fé e a Incredulidade, que aprendo algumas lições veja:

1 - Precisamos Crêr nas Promessas de Deus mesmo quando isso contrariar á lógica humana!
O Ser Humano tem o costume de se basear naquilo que é racionalmente lógico e natural, Abraão precisava de muito mais do que acreditar na lógica humana, porque pelo natural uma estéril nunca poderia ter filhos, porém a bíblia relata que Abraão crêu na promessa e isso foi lhe imputado por justiça. (Gn 15:6). Mas a nossa Fé sempre está passando pelo crivo de Deus, e com Abraão não foi diferente, veja que no cap. 15 de gênesis Deus lhe promete um filho, no cap. 21 do mesmo livro Deus concede o Filho, más no cap. 22 de gênesis Deus pede o Filho da Promessa de volta em forma de Sacrifício.... Isso era motivo suficiente para qualquer pessoa no raciocínio Natural pensar: Como é que um Deus que Promete um filho a alguém, e logo depois de realizar a promessa pede-o de volta? Deus estava apenas testando a Fé de Abraão, estava forçando Abraão a demonstrar se realmente temia e amava a Deus de todo o seu coração. Abraão confiou no Senhor mesmo sabendo que na lógica humana parecia ser um absurdo o que estava acontecendo, acredite você também, Deus é especialista em trabalhar na contra-mão do mundo e da lógica, é como disse Paulo em I Co 1:27 - "Que Deus escolheu as coisas loucas dete mundo para confundir as sábias, e Deus escolheu as coisas fracas para confundir as fortes".


2 - Precisamos Crêr nas Promessas de Deus, mesmo quando os nossos olhos não enxergam a saída.


Paulo expressou em II Co 4:18 " Não Atentando nós para as coisas que se Vêem, mas nas que se não Vêem, pois as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são Eternas".
Enquanto Abraão estava levando seu filho Isaque ao sacrifício em um dos montes da Terra de Moriá, a bíblia diz que : "Então, se levantou Abraão pela manhã, bem cedo e albardou o seu jumento, e tomou dois dos seus moços e Isaque, seu filho; e fendeu lenha para o holocausto, e levantou-se e foi ao lugar que Deus lhe dissera;


Ao terceiro dia, levantou Abraão os seus olhos, e viu o lugar de longe"...Gn 22-3-4.


O Que me chama á atenção aqui é justamente o caminho que Abraão teve que percorrer até chegar no lugar determinado por Deus, veja que a bíblia diz que somente ao TERCEIRO dia Abraão ergue os olhos para olhar adiante e o que ele vê? um monte e muitas pedras para escalar, era o lugar do sacrifício que estava chegando, era o lugar da entrega e da obediência a voz do ETERNO. Entendo que em todo este trajeto o Patriarca da fé estaria conversando com Deus, talvez até pedindo forças para suportar tamanha provação e nota-se que em nenhum momento Abraão questionou a Deus ou murmurou contra o seu pedido, porém confiou mas uma vez no TODO PODEROSO, sabendo que no final Deus lhe daria uma saída. Precisamos acreditar no milagre de Deus, nos momentos mais difíceis de nossas vidas, quando achamos que não há mais saída, quando tudo parece perdido, é aí então que ELE nos socorre e mostra que enquanto você está enxergando somente a LUTA do presente, ELE já está vislumbrando a tua vitória no futuro. Acredite a História vai mudar.......


3 - Precisamos Crêr em Deus, tendo a convicção que a Promessa não vai morrer.


"E disse Abraão a seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e Isaque iremos até ali; e, havendo adorado, TORNAREMOS A VÓS". Gn 22:5.


Abraão agora expressa um exemplo de Fé sobrenatural, talvez superou toda a dor que estava sentindo por dentro, e deixou a fé falar mais alto do que as circunstâncias daquele momento, a convicção foi contundente ao dizer que iria adorar com o moço, mas retornaria também com o moço. Quem sabe Abraão lembrou-se da promessa feita pelo próprio Deus anos atrás dizendo que Isaque seria a sua posteridade e para tanto não poderia morrer assim. Oxalá que sejamos sempre impulsionados por essa masma convicção e Fé que Abraão demonstrou nos ensinando que mesmo quando parece que tudo está perdido, Deus provê o necessário para nos abençoar. A tua promessa não morrerá, sempre estará nas mãos de Deus pronta para ser entregue a você no tempo certo, basta confiar no Deus que te prometeu e esperar pois, esse Deus jamais falhou e jamais falhará.


" Porque necessitais de paciência, para que depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a Promessa". Hb 10:36.





Nele que é Fiel e nunca falha...





Ev. Anderson Araújo.





domingo, 25 de outubro de 2009

Recrutamento para pastor da IURD?

" Este Jovem de 20 anos está estudando para participar da prova para pastor da IURD"!!! Caros Leitores deste blog;

Recebí um e-mail hoje sobre este assunto, não sei se é verdadeiro ou é mais uma brincadeira como as que já existem por aí, porém se for verdade, deixo aqui meu protesto e indigninação....


O Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (CESPE/UnB) abrirá o primeiro concurso para pastor da Igreja Universal do Reino de Deus. Segundo representante da Universal, o concurso público tem a intenção de recrutar profissionais qualificados para participarem do que chamam de “a grande expansão da Palavra” e a “cultura popular de Deus”. “-Já conquistamos nosso espaço em 172 países. Temos obras sociais espalhadas nos quatro cantos do globo. Precisamos de profissionais não apenas ungidos pelo Espírito Santo e preparados no fogo do Pai das Luzes para cumprir nossa missão evangelizadora, mas também de pastores com conhecimento técnicos para darem continuidade a essa obra tremenda.”, explica, empolgado, o pastor Ricardo Ibrahim, responsável interno da IURD pela organização do concurso. Adavilson dos Santos, de 23 anos, morador de Guarulhos, pensa em fazer o concurso: “-Estou muito ansioso, sou pastor desde os meus 18 anos e obreiro da minha igreja desde os 11. Colei grau em Teologia ano passado. Sempre estudei bastante. Esta é uma oportunidade muito grande na carreira de qualquer pastor e não vou perdê-la”, vibra o jovem. As vagas serão abertas para candidatos do sexo masculino com curso superior em quaisquer áreas. Candidatos com Bacharelado em Administração Eclesiástica ou Pós-Graduação (mestrado e doutorado) em Adminstração de Igrejas e disciplinas afins ganham pontos na prova de títulos. O número de vagas não foi divulgado. O salário inicial na investidura do cargo é de R$ 8.234,82 mais benefícios.


Espero que tudo não passe de uma Brincadeira de mau gosto!!!!!!!!!!!


Que o Senhor tenha misericórdia do seu povo!!!!!!


Nele que merece toda Glória;


Por: Ev. Anderson Araújo.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

O Carvalho e Você.

Todas as vezes que nos deparamos com problemas na vida observamos o quanto somos frágeis. As alegrias se vão, só fica a verdade de que somos impotentes para lidar com as adversidades que surgem no decorre de nossa existência. Deus nos deixa lições interessantes em sua criação, para nos mostrar que o homem foi criado forte e que essa força pode ser aumentada e absorvida de situações adversas. Existe uma árvore com o nome de Carvalho. Essa árvore é usada pelos botânicos e geólogos como um medidor de catástrofes naturais. Quando querem saber sobre tempestades que ocorrem numa determinada floresta, eles observam logo o carvalho.

É a árvore que mais absorve as consequências dos temporais. Quanto mais temporais e tempestades o carvalho enfrenta mais forte fica! Suas raízes naturalmente se aprofundam mais na terra e seu caule se torna mais robusto, sendo quase impossível uma tempesade arranca-lo do solo ou derrubá-lo! Mas, não pense que os cientistas presisam fazer estas análises todas para saber disto! Basta apenas olharem para o carvalho. Pelo fato dele absorver as consequências da tempestade a robusta árvore, as vezes, assume uma aparência disforme, como se realmente tivesse feito muita força, ficando ás vezes até com aparecia triste. Para um carvalho, cada tempestade é mais um desafio a ser vencido e não uma ameaça.

Numa grande tempestade muitas árvores são arrancadas, mas o carvalho permanece firme!Devemos tirar proveito das situações contrárias à nossa vida e ficar mais fortes, mesmo que ás vezes um pouco marcados, com aparência abatida, mas fortes, com raízes bem firmes e profundas na terra! Podemos com isso compreender o que o Nosso Pai maravilhoso quis nos ensinar, quando disse que “ Podemos todas as coisas naquele que nos fortalece”(Fl. 4:13) e, também, a confiança do rei Davi, quando cantou: Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte não temerei mal algum, porque Tu estás comigo” (Sl 23:4). Por isso, quando você olhar pela janela o lindo alvorecer, lembre-se que não há temor com os infortúnios do dia, porque Deus sempre está com você. Ele protegê-lo-a! Se você estiver passando por problemas muito grandes, comporte-se como o carvalho. Certamente, será mais uma tempestade que poderá torná-lo ainda mais forte.“ Os que confiam no Senhor são como os montes de Sião que não se abalam, mas permanecem para sempre”. ( Sl. 125:1 ).



Pesquisa : Extraído do Mensageiro de 2001.





Soli Déo Glória;


Ev. Anderson Araújo.

domingo, 18 de outubro de 2009

Violência contra cristãos na Índia


ÍNDIA – Um pastor foi atacado e ficou gravemente ferido na cidade de Ludhiana, em Punjab.
Vijay Kumar, formado pela Faculdade Bíblica IPC, trabalha como pastor na Igreja Pentecostal Indiana (IPC). Cinco hindus chegaram em um carro e levaram o pastor para um lugar isolado. Lá, ele foi agredido e ficou muito ferido. A agência All India Christian Council condenou o ataque ao pastor e pede que sejam tomadas atitudes contra os culpados.
Ore pelos pastores e evangelistas da área de Punjab. Notícias recentes mostram que os ataques têm aumentado e muitos líderes têm sido sequestrados e mortos. Ore para que Deus traga paz para a região e para que eles não desistam de propagar o cristianismo na área.

Jesus está Voltando.......
Fonte: Missão Portas Abertas
Por Ev. Anderson Araújo.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Homenagem ao Dia dos Professores

As bolas de papel na cabeça, os inúmeros diários para se corrigir, as críticas, as noites mal dormidas...Tudo isso não foi o suficiente Para te fazer desistir do teu maior sonho: Tornar possíveis os sonhos do mundo.

Que bom que esta tua vocação tem despertado a vocação de muitos. Parece injusto desejar-te um feliz dia dos professores, quando em seu dia-a-dia tantas dificuldades acontecem. A rotina é dura, mas você ainda persiste. Teu mundo é alegre, pois você Consegue olhar os olhos de todos os outros e fazê-los felizes também.Você é feliz, pois na tua matemática de vida, dividir é sempre a melhor solução.Você é grande e nobre, pois o seu ofício árduo lapida o teu coração a cada dia, Dando-te tanto prazer em ensinar. Homenagens, frases poéticas, certamente farão parte do seu dia a dia, e quero de forma especial, relembrar a pessoa maravilhosa que você é e a importância do seu ofício.


É por isto que vocês merecem esta homenagem Hoje e sempre, por aquilo que são , E por aquilo que fazem.


Que o Senhor abençoe a todos os Professores, Ensinadores e Mestres, que dedicam suas vidas ao ensino e educação da humanidade...


É a homenagem deste blog á todos que possui a arte de ensinar;


Em cristo;


Ev. Anderso Araújo.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Grande Culto Geral de Jovens da UMADEC.

ESTAREMOS REALIZANDO NO DIA 17/10/2009, SÁBADO Á PARTIR DAS 19:00HS EM NOSSA IGREJA SEDE DA ASSEMBLÉIA DE DEUS MINISTÉRIO DE CUBATÃO SP, SITUADA NA RUA ASSEMBLÉIA DE DEUS Nº 251 - CENTRO - CUBATÃO, O NOSSO GRANDE CULTO GERAL DA UMADEC:
UNIÃO DE MOCIDADE DA ASSEMBLÉIA DE DEUS DE CUBATÃO, HAVERÁ MUITO LOUVOR E ADORAÇÃO MINISTRADA PELO GRANDE CORAL DA UMADEC, TAMBÉM PELA EQUIPE DE LOUVOR DA UMADEC, UMA PARTICIPAÇÃO ESPECIAL DE TODA JUVENTUDE DO SETOR I (CONG. COTA 200) QUE ESTARÁ APRESENTANDO SEU LOUVOR AO SENHOR, E COM A MINISTRAÇÃO DA PODEROSA PALAVRA DE DEUS O PR. MARCELLO OLIVEIRA DE SÃO PAULO/ MODERADOR DO BLOG A SUPREMACIA DAS ESCRITURAS, E ESTARÁ LOUVANDO Á DEUS NESTA OCASIÃO A CANTORA CINDY FRANÇA DE SANTOS/SP.

VOCÊ É NOSSO CONVIDADO ESPECIAL, VENHA DESFRUTAR AS BENÇÃOS DE DEUS JUNTAMENTE CONOSCO. QUE O SENHOR ABENÇOE A TODOS;


DIRETORIA UMADEC;




EV. ANDERSON ARAÚJO.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Ídolo ou Adorador?

Estamos vivendo dias em que as pessoas estão buscando Glória para si e estão se esquecendo de tributar essa glória para quem verdadeiramente é de direito, o Senhor Jesus. Fico então refletindo e eis que surge a pergunta: O que leva uma pessoa a querer ser um ÍDOLO? Será o status, a fama, o dinheiro, saciar o seu ego, não sei dizer ao certo, porém, o que tenho percebido é que o número de pessoas Evangélicas que estão aderindo a esses seguimentos tem aumentado a cada dia.
São programas de Televisão, os famosos REALIT SHOWS da música que tem atraído cada vez mais o público evangélico para as telinhas da televisão, pessoas que estão indo contra os dogmas das suas igrejas e a doutrina bíblica para de repente satisfazer o seu ego sem medir as consequências desastrosas para sua vida espiritual. Os títulos colocados nestes programas são bem sugestivos ÍDOLOS, FAMA, ASTROS, chamando a atenção pelos seus nomes fortes e expressivos. Tenho ouvido pessoas falarem que não obtiveram sucesso no chamado " mundo gospel" e agora estão aderindo ao secularismo, cantar somente na Igreja para adorar a Deus já não basta, tem que ser reconhecido no mundo a fora, fazer Shows, ser ovacionados pelos Fãs, nem que para isso tenha que confrontar e ferir os princípios cristãos e até mesmo o abandono da fé.

Quando confronto estas atitudes com a Palavra de Deus, encontro uma divergência muito grande com relação a esse assunto, por exemplo, o Mestre Jesus sempre atribuiu tudo aquilo que ELE realizava em seu ministério terreno como fora dado pelo Pai, e nunca ELE levava a glória para si, Jesus em seu ministério nunca buscou fama e muito menos sucesso, veja esta expressão do Mestre:



E perguntou-lhe um dos principais: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna?
Respondeu-lhe
Jesus: Por que me chamas bom? Ninguém é bom, senão um, que é Deus. Lc 18:18-19.


Hoje estamos deixando de ser adoradores para sermos adorados, deixamos de ser Servos , para sermos ÍDOLOS, onde vamos parar com tudo isso?


João 12:43 diz: Porque amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus.


Não podemos nos esquecer que fomos chamados e escolhidos para sermos o reflexo de Deus aqui na terra, ou seja, o que tem que aparecer em nossa vida é Cristo e não nós mesmos, temos que ser como a Lua que não possui luz própia, porém ela ilumina a terra refletindo a luz do Sol, que possamos entender que somos Lua e o Senhor Jesus é o Sol, refletimos á sua Glória e sua Luz em nossas vidas, Oh Glória...


Termino minhas palavras corroborando com as do intrépido pregador João Batista quando disse:


"É necessário que Ele cresça e que eu diminua". Jo 3:30.

" Nunca busque para si o sucesso, busque o Triunfo, porque o sucesso vem e passa mas o triunfo é Eterno".

Naquele que merece toda a Glória;


Ev. Anderson Araújo.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Temer á Deus, ou Ter medo de Deus?

“...Temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.” Mt 10.28b
A expressão: “temer a Deus”; ouve-se com grande freqüência nas igrejas. Pastores e Professores de Escola Dominical estão sempre fazendo referência. Mas infelizmente, muitos não conseguem compreender verdadeiramente o que ela quer dizer.
Quando se ouve a palavra “temer” de imediato a associamos a: Medo ou Receio. A nossa idéia é que devemos ter receio (medo) de Deus.
No entanto, este é um enfoque errado para a palavra “temer”. Quando a Bíblia em algumas dezenas de texto, refere-se, a Temor a Deus. Não está afirmando literalmente que o homem deve estar com medo e cheio de receio em relação a Ele. Mas, que deve haver um “sentimento” de reverência e respeito ao Senhor.
“Temer a Deus” é, portanto, Reverenciar ou Respeitar ao Criador.E este sentimento de Reverência e Respeito é uma prática que deve ser desenvolvida pelos Servos do Senhor. Todos aqueles que querem viver uma vida santa e irrepreensível deve observá-las, esta é uma ordem.Veja:"Andareis após o SENHOR, vosso Deus, e a ele temereis; guardareis os seus mandamentos, ouvireis a sua voz, a ele servireis e a ele vos achegareis." Dt 13.4; "vós que temeis o SENHOR, louvai-o; glorificai-o, vós todos, descendência de Jacó; reverenciai-o, vós todos, posteridade de Israel" Sl 22.23; "De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem." Ec 12.13 e "Tratai todos com honra, amai os irmãos, temei a Deus, honrai o rei." 1Pe 2.17.É extremamente importante na vida do Santo, verdadeiramente, indispensável.
A Bíblia apresenta uma série de texto que versa sobre o tema. Inclusive Salomão de forma didática ensina em Provérbios como deve ser o proceder do homem para conhecer o significado de temer a Deus e ainda, como alcançá-la. Pv 2.3-5 ("e, se clamares por inteligência, e por entendimento alçares a voz, se buscares a sabedoria como a prata e como a tesouros escondidos a procurares, então, entenderás o temor do SENHOR e acharás o conhecimento de Deus.")
Deus é o autor deste sentimento e Ele mesmo colocou nos corações dos seus escolhidos ("Dar-lhes-ei um só coração e um só caminho, para que me temam todos os dias, para seu bem e bem de seus filhos. Farei com eles aliança eterna, segundo a qual não deixarei de lhes fazer o bem; e porei o meu temor no seu coração, para que nunca se apartem de mim." Jr 32.39,40), é uma prática que deve ser desenvolvida no dia-a-dia. Jamais se deve esquecer que a Ele seja o temor. ("Ao SENHOR dos Exércitos, a ele santificai; seja ele o vosso temor, seja ele o vosso espanto." Is 8.13)
Temer, reverenciar ou respeitar ao Senhor implica inicialmente em odiar o mal ("O temor do SENHOR consiste em aborrecer o mal; a soberba, a arrogância, o mau caminho e a boca perversa, eu os aborreço." Pv 8.13). É virar-se contra o pecado, deixando nascer dentro do coração uma sensibilidade ao Espírito Santo, grande o suficiente para dizer não aos apelos da carne e à voz do maligno.
O Temor ao Senhor é descrito como:



a) Sabedoria:"O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria; revelam prudência todos os que o praticam. O seu louvor permanece para sempre." (Sl 111.10);

b) Esperança:"Melhor é o pouco, havendo o temor do SENHOR, do que grande tesouro onde há inquietação." (Pv 15.16);

c) Tesouro:"Haverá, ó Sião, estabilidade nos teus tempos, abundância de salvação, sabedoria e conhecimento; o temor do SENHOR será o teu tesouro." (Is 33.6); Fonte de Vida (Pv 14.27); d) Eterno:"O temor do SENHOR é límpido e permanece para sempre; os juízos do SENHOR são verdadeiros e todos igualmente, justos." (Sl 19.9); e) Necessária no Servir:"Por isso, recebendo nós um reino inabalável, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus de modo agradável, com reverência e santo temor; porque o nosso Deus é fogo consumidor." (Hb 12.28, 29).

A verdade é que muitos ainda usam o Nome do Senhor futilmente, não respeitam e nem mesmo reverenciam a Sua Santidade, falam em Seu Nome em vão, escrevem músicas profanas colocando o Nome de Deus como se Ele fizesse parte dessas liturgias mundanas, fazem filmes colocando Deus como um ser sem autoridade e sem Santidade, onde vamos parar?

Que o Senhor tenha misericórdia de nossas vidas, para nunca compactuarmos com essa irreverência que está se alastrando pelo mundo.



Pesquisa: Vivos Estudos.



Naquele que merece toda a Adoração;

em Cristo;

Ev. Anderson Araújo.

sábado, 3 de outubro de 2009

Parabéns Pr. Carlos Roberto Silva.


É com muita honra que gostaria de Parabenizar o meu amigo e Pastor Carlos Roberto Silva, pela passagem de seu aniversário comemorado no dia 03/10/2009, esse homem de Deus que tem sido um exemplo em todas as áreas de sua vida e ministério. Casado com a Irmã Sarah Virgínia Silva e Silva, atualmente Vice Presidente da Igreja Assembléia de Deus ministério de Cubatão, Vice Presidente Executivo da COMADESPE, Membro do Conselho de Doutrina da CGADB - Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil - Gestão 2009/2013 e Relator do Cons. Consultivo da UNIPEC - Conselho de Pastores e Líderes Evangélicos de Cubatão - Gestão 2009/2011. Pastor Setorial na Igreja Assembléia de Deus Congregação Jardim Nova República na cidade de Cubatão/ SP. Articulador do maravilhoso Blog POINT RHEMA uma referência no mundo da Blogosfera. Mesmo com tantas atribuições, não tem deixado o seu jeito companheiro e amigo de ser, sempre atencioso e muito centrado na Palavra de Deus, sempre buscando a excelência em tudo o que faz e, principalmente para o engrandecimento do Nome e da obra do Senhor nosso Deus. Quero aqui registrar os sinceros votos deste singelo Blog, de muita Paz, felicidade e sucesso e que o Eterno continue estendendo suas poderosas mãos sobre sua vida, família e ministério.

Deixo aqui uma Palavra em Provérbios 3:16 que diz:


" Aumento de dias há na sua mão direita, e na sua esquerda, Riquezas e Honra".


Por Ev. Anderson Araújo

Blog Plenitude da Graça.

Guarda o que tens para que ninguém tome a tua Coroa Ap 3:8-11.


Filadélfia era uma Igreja fiel, que guardava a palavra de Cristo e não o negava(Ap 3:8). Os membros tinham suportado a oposição do mundo, resistido á conformação ás tendências malignas das demais igrejas e perseverado na lealdade a Cristo, e na verdade do evangelho. Por causa da perseverança deles na fidelidade, Deus promete livrá-los da hora da provação. No entanto, o que mais me chama á atenção nesta carta é o versículo á seguir:


- "Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa". Ap 3:11.

Esta palavra é um alerta de Cristo á sua Igreja com relação a vigilância em observar a sua volta eminente e repentina, no entanto, precisamos como Igreja GUARDAR o que temos para não perdermos á promessa. Gostaria de Relacionar algumas coisas que devemos GUARDAR segundo a palavra de Deus para que ninguém perca a sua Coroa:


1- Devemos Guardar o CORAÇÃO. - "Sobretudo o que deves guardar, guarda o teu CORAÇÃO, porque dele procede as saídas da vida".(Pv 4:23). Segundo o sábio Salomão, o coração deve ser guardado com afinco pois ele é responsável por nossas emoções, desejos e sentimentos que são os maiores alvos do inimigo na vida de uma pessoa, quando o adversário consegue minar o coração de alguém, ele se apodera de todo o seu ser, porém, aquele que entrega o seu coração nas mãos do Eterno sempre terá auxílio e sustentação na hora da tentação. Lembre-se que Davi mesmo sendo rei de Israel e segundo o coração de Deus, não foi poupado do preço a ser pago por ele quando deixou de guardar o seu coração, deitando-se com Bate-Seba mulher de seu soldado e logo depois cometendo um homicídio mandando matar Urias. O preço foi caro, mas foi nesse momento que Davi se arrepende do seu descuido, e descobre o seu coração diante de Deus em uma oração linda no Salmo (51:10-11) "Cria em mim ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo".


2- Devamos Guardar os PÉS. - "Guarda o teu Pé quando entrares na casa do teu Deus..."(Ec 5:1). Mais uma vez Salomão nos adverte á vigiarmos em tempo oportuno, além do coração como foi citado acima, agora ele faz mensão aos pés. Os Pés são os responsáveis pelo equilíbrio do nosso corpo, é o meio de sustentação que nos mantém erguidos ou em Pé, você ja viu alguém que não possui os pés conseguir se equilibrar ou ter firmeza? não, pois bem, vendo pelo panorama espiritual Salomão estava alertando com relação á reverência e o respeito na Casa de Deus, porque o diabo desde o princípio tenta ferir o Calcanhar da igreja (Gn 3:15), ou seja, o alicerce espiritual que te mantém de pé, ele tenta ferir teus pés 24 horas por dia tentando te colocar no chão, porém, devemos estar com nossos pés calçados com a preparação do Evangelho da paz (Ef 6:115) e revestidos de toda armadura de Deus para que possamos resistir nos dias maus, tendo a certeza que o Senhor estará conosco não deixando os nossos Pés vacilarem (Sl 121:3).


3- Devemos GUARDAR a Fé. - "Combati um bom combate, acabei a carreira e guardei a fé". (II Tm 4;7). O que Paulo estava ensinando ao seu filho na fé Timóteo era que apesar de tanta labuta, tantas provações que enfrentou durante o seu ministério, ele corajosamente estava no fim de sua carreira, porém não havia deixado para trás aquilo que trilhou lado a lado durante todo o tempo ... a FÉ. Uma palavra tão pequena e de um significado tão grande que rege nossas vidas. Jesus em seu ministério terreno procurava nos corações mas o que mais encontrou foi incredulidade. Hoje infelizmente não está diferente dos tempos antigos as pessoas estão cada vez mais materialistas e carnais, só acreditam naquilo que podem ver ou tocar, o sobrenatural não faz nenhum sentido para eles, não foi o que o escritor á carta aos Hebreus disse: " Ora a Fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem (Hb 11:1). Que o Senhor possa estar acrescentando fé em cada coração, pois ela nos dará bençãos no tempo presente e salvação no tempo futuro.


4- Devemos GUARDAR a Palavra. "Guardei a tua Palavra no meu coração, para eu não pecar contra Ti" (Sl 119:11). O Salmista foi incisivo quando declamou esta poesia ensinando-nos uma lição de obediência e temor á Deus. Nós buscamos guardar tantas coisas no nosso dia a dia, e nos esquecemos que uma das coisas mais importante é guardar a Palavra de Deus. É triste dizer mais até mesmo em nossas Igrejas estão dando muito mais ênfase a tantas outras liturgias e estão dando tão pouco crédito para a palavra do Senhor, canta-se muito e prega-se pouco, são 2 horas de louvores e 10 minutos para Palavra, que o Senhor tenha misericórdia do seu povo e que possamos dar muito mais Primazia para a palavra, pois é a palavra de Deus que Liberta o cativo, que da saúde e vida (Pv 4:22), serve de Lâmpada para os pés e luz para o caminho ( Sl 119:105); Purifica o caminho do Jovem (Sl 119:9); Abre portas onde niguém poderá fechar (Ap 3:8).


Nele que Regressará em Breve;

Por Ev. Anderson Araújo.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

O Silêncio de Deus.


Se existe algo que o ser humano ainda não conseguiu digerir com relação á algumas atitudes de Deus para com o homem, este algo se chama O silêncio de Deus. É quando tudo está confuso e obscuro e você não enxerga aquela tão esperada “luz no fim do túnel”, A oração parece não ultrapassar o teto do seu quarto, na igreja, a palavra é pregada, mas não é o que você gostaria de ouvir. Deus não levanta nenhum “vaso” em profecia pra falar contigo, a Fé já não está tão viril e a Esperança já não anda de mãos dadas com você, é justamente nesse momento que você olha para o alto e solta aquela pergunta: Senhor onde tu estás? Ou Senhor fala comigo preciso te ouvir!!! Será que você já vivenciou isso alguma vez?
O que precisamos entender é, que quando Deus fica em Silêncio, Ele está trabalhando ao nosso favor, costumo dizer que o silêncio de Deus é pedagógico, ou seja, Ele está apenas nos ensinando á esperar o Tempo DELE, precisamos somente confiar em seus desígnios sabendo que o melhor está por vir. Observando as Escrituras Sagradas, nos deparamos com dois períodos longos do Silêncio de Deus na História, veja a seguir:
- “Então disse o Senhor: Com efeito, tenho visto a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheço os seus sofrimentos. e desci para o livrar da mão dos egípcios, e para o fazer subir daquela terra para uma terra boa e espaçosa, para uma terra que mana leite e mel; para o lugar do cananeu, do heteu, do amorreu, do perizeu, do heveu e do jebuseu. E agora, eis que o clamor dos filhos de Israel é vindo a mim; e também tenho visto a opressão com que os egípcios os oprimem. Agora, pois, vem e eu te enviarei a Faraó, para que tireis do Egito o meu povo, os filhos de Israel”.(Ex 3:7-11).
Este texto retrata a chamada de Moisés como o Líder que libertaria Israel da terra do Egito, segundo a história os Israelitas estavam escravizados há mais ou menos 430 anos naquela terra pagã, trabalhando duramente pelo seu sustento sendo oprimidos por Faraó todos os dias. Muitos já não adoravam mais a Deus, não havia sacrifícios e muito menos uma vida espiritual sadia, pois, a Fé havia sido sufocada pelo sofrimento e a Esperança esquecida pelo passar do tempo. É quando então Deus decide quebrar o silêncio de séculos, e resolve intervir no curso desta história, usando Moisés como uma ferramenta para libertar Israel das mãos truculentas de Faraó. O outro período que podemos citar é mais conhecido como PERÍODO INTERBÍBLICO, um período de 400 anos onde as penas dos escribas estavam recostadas, os profetas de Deus estavam calados e poucos ainda guardavam a promessa do tão esperado Messias prometido como O Velho Simeão e a Profetiza Ana (Lc 2:25-30,36-38). Uma época de grandes batalhas sangrentas, guerras entre povos, um verdadeiro caos espiritual e social. Foi então que Deus mais uma vez quebra o silêncio e levanta uma trombeta na terra chamado JOÃO BATISTA, conhecido como a voz do que clama no deserto (Is 40:3, Lc 3:4), em um momento de esterilidade profética surge a voz de João Batista servido de conexão entre o Céu e a Terra, anunciando que o Silêncio profético havia cessado, e que a boca de Deus estaria aberta para pronunciar a salvação á todos os homens. O que aprendo com essas lições, é que Deus sempre está no controle de todas as coisas, e que o “Silêncio de Deus não significa a AUSÊNCIA DELE”, Ele pode estar calado como estava naquele barco com os discípulos, porém, Ele ainda está no barco e no momento certo ELE se Levantará, acalmará a tempestade e cessará toda tormenta porque ele sabe quando e como deve agir.


Nele, o autor da Salvação!
Em Cristo;


Ev. Anderson Araújo.